Sunday, September 27, 2009

Early Autumn Birthday Dinner Party


São 6 da tarde e estive a molengar o dia todo. Entre dormitar, comer o resto da empada de frango e beber limonada, eu basicamente não fiz mais nada. À minha mãe, deu-lhe uma genica às 10 da manhã e acabou de arrumar tudo o que restou da festa de ontem em duas horas *. É que ontem dei uma festa em Azeitão. Na casa onde já se deram inúmeras festas.

Os meus avós tinham um talento genuíno para receber convidados, se bem que a memória mais vívida que tenho se relacione mais com o meu avô e as festas mais marcantes foram sempre os almoços de natal e os barbecues. Lembro-me de ver o meu avô a cortar “ao milímetro” cubinhos de carne para fazer espetadas, com pimentos e cebolas, tudo do mesmo tamanho, nem mais pequeno nem maior. “É para que toda a espetada grelhe uniformemente”, dizia ele a justificar as horas que passava de volta destas e outras preparações nas vésperas das festas. As mesas eram postas de véspera também, tudo de acordo com as regras da etiqueta, mas curiosamente descontraídas e nada “intimidantes”.

Sempre ouvi dizer maravilhas de todas estas festas, que equilibravam em todos os aspectos a dose certa de requinte e descontracção, deixando todos os convidados com vontade de voltar (e a maior parte das vezes sem vontade de ir embora!). Naturalmente, esta “arte” passou para a minha mãe e espero que vá passando para mim também. Porém, é certo que para dar uma festa de sucesso haja mais a ter em conta do que “talento” ou “jeito”.


Ao longo do tempo, fui absorvendo algumas dicas muito úteis, principalmente ao nível da estruturação e elaboração da ementa:
- tentar saber o que gostam os convidados, se são vegetarianos ou carnívoros convictos, se têm alergia a algum ingrediente específico ou pura e simplesmente não comem um determinado alimento, por questões de saúde ou feitio;
- sempre que possível dar preferência a frutas e vegetais da época;
- não repitir ingredientes nas receitas (por exemplo, não sirvam arroz de pato e arroz doce, a não ser que o tema a festa seja o arroz!);
- em caso de dúvida, escolher o mais simples e que se possa fazer com antecedência.

Caso não queiram passar 72h na cozinha antes da festa, também aconselho a escolherem uma ou duas coisas que possam encomendar a uma casa de comida feita ou comprar no supermercado, pronto a comer, ou até pedir a um dos convidados, se tiverem à vontade suficiente. Pode ser o prato principal, uma sobremesa, um acompanhamento, até pode ser tudo, para simplificar ao máximo.

Há uma tendência para as pessoas, no geral, se preocuparem só com a comida, o que é justificável porque efectivamente qualquer festa que se preze de se chamar festa tem que ter algo para comer/beber. É o que toda a gente espera. Mas é o que as pessoas não esperam é que vai marcar a diferença.


Um exemplo disso são os detalhes. Flores, velinhas, espaços confortáveis para estar e para circular, música, a própria apresentação e conjugação da comida, os pratos e guardanapos, a cadência da refeição. A minha mãe é perita nos detalhes. Adora arranjar a casa de banho com flores, velas, toalhas bonitas e sabonetes cheirosos e diverte-se imenso a por e decorar a mesa.

Pode demorar algum tempo pensar em como a festa vai ser. Qual o ambiente, quantas pessoas, o que servir, como servir, o que comprar fora, o que fazer em casa, quem é que vai ajudar, enfim, uma série de pequenas questões que devem ser bem geridas para tudo correr bem, tanto do ponto de vista dos convidados como do dos anfitriões. Mas vale a pena, muito mesmo, a satisfação de dar uma festa vale todo o tempo e esforço empenhado na mesma. Ver os convidados felizes e divertidos, confortáveis e a conviver uns com os outros é o que toda a gente que organiza uma festa quer!


* E já agora aproveito também para agradecer às restantes mãozinhas que ajudaram ao longo da noite e dar créditos ao Pato Amarelo pelas últimas duas fotos :)

Pin It Now!

Saturday, September 19, 2009

Tarte de peras e mirtilos


Sim, adoro fazer tartes, já vos tinha dito. Todos os sabores, todos os feitios, delicadas ao estilo francês ou robustas ao estilo americano, fazê-las é um verdadeiro prazer, comê-las então… sem palavras!



A combinação de frutas tipo maçãs ou neste caso peras com frutos silvestres é uma das minhas preferidas, e tudo bem quentinho e aconchegado numa massa de tarte é perfeito para me confortar numa tarde de princípio de Outono, quando o tempo já não está assim tão quente e umas nuvens acinzentadas indiciam as primeiras chuvas.




Tarte de pera e mirtilos

Para a massa:
450gr de farinha
200gr de manteiga
100gr de açúcar em pó
Raspa de um limão
2 ovos, ligeiramente batidos + 1 ovo para pincelar
1 c. sopa de leite


Para o recheio:
1,5kg de peras, sem casca e cortadas aos quartos
125gr de mirtilos
3 c.sopa de açúcar
1 c.sobremesa de gengibre ralado
25gr de manteiga

Numa tigela bem grande peneire a farinha e o açúcar. Junte a manteiga aos pedaços e misture tudo com os dedos até ficar com uma aparência “areada”. Junte os ovos e o leite e amasse apenas o suficiente para toda a massa ficar unida numa bola. Embrulhe bem a massa e leve ao frigorífico durante 30 min no mínimo. Entretanto, num tacho, derreta a manteiga e junte as peras, o gengibre e o açúcar e deixe cozinhar durante 15 a 20 min, mexendo de vez em quando. Mesmo antes de retirar do lume, junte os mirtilos, mexa com cuidado e reserve. Pré-aqueça o forno a 180ºC e coloque a grelha numa posição abaixo da do meio. Estenda 2/3 da massa e coloque sobre a forma, seguida da fruta. Com o último ovo, pincele as bordas generosamente e disponha o restante 1/3 da massa, já estendida, por cima da fruta, aconchegando tudo muito bem. Pressione as bordas da tarte, retirando o excesso de massa. Pincele novamente com ovo toda a tarte e polvilhe com um pouco de açúcar. Faça uns pequenos cortes na massa antes de a por no forno (imprescindível para deixar sair o vapor que se formará durante a cozedura), durante 30 min. Sirva morno tal como está ou com molho de baunilha frio (o do Ikea é excelente!!)

Pin It Now!

Tuesday, September 15, 2009

Chocolate chip cookies


No princípio deste ano experimentei a receita de chocolate chip and hazelnut cookies da Donna Hay e gostei muito do resultado. Eu prefiro fazê-los mais pequenos em diâmetro mas mais altos de modo a que fiquem uns biscoitos mais para o “bolo” do que para a “bolacha estaladiça.

Dá perfeitamente para trocar as avelãs por outros frutos secos ou até mesmo por coco ralado (3 a 4 c. de sopa)
Pin It Now!

Saturday, September 12, 2009

Caril de vegetais com salada de lentilhas e arroz Basmati

O meu almoço de hoje…

Caril de vegetais com salada de lentilhas e arroz Basmati

Para o caril:
Um molho de brócolos
Um molho de espargos frescos
Uma courgette média
1 lata de leite de coco
1 c.chá de pasta de caril verde tailandês (podem substituir por uma colher de caril normal)
Sal

Corte o molho de brócolos de modo a ficar com raminhos mais ou menos do mesmo tamanho. Corte a courgette no sentido do comprimento, primeiro ao meio, depois aos quartos e por fim na perpendicular, de modo a formar pedaços com cerca de 5cm de comprimento. Coza os vegetais em água com sal ou ao vapor. Num tacho aqueça o leite de coco com a pasta de caril e junte os vegetais já cozidos. Tempere a gosto.

Para a salada:
1 lata de lentilhas já cozidas
½ cebola roxa pequena
2 c. sopa de sumo de limão
½ c. chá de cominhos em pó
Sal
Folhas de coentro

Numa tigela junte o sumo de limão, os cominhos e um pouco de sal. Corte a cebola às rodelas bem finas e deixe marinar no sumo de limão durante 10 min. Escorra as lentilhas e passe por água. Junte as lentilhas à cebola e acrescente algumas folhas de coentros.

Nota: sirva com arroz Basmati e acrescente textura a tudo polvilhando algumas sementes de sésamo e de linhaça; pode também acompanhar com uma colherzinha do seu chutney preferido.

Pin It Now!

Tuesday, September 01, 2009

Salada de melancia com feta


Eu diria que à primeira vista não é a salada mais apelativa aos olhos de muitos mas, não sei se é porque ando a “comer feta como poucos” como o N. disse ontem, ou porque o esquema cromático no geral é harmonioso, finalmente me decidi hoje ao almoço a cortar uns pedaços de melancia e esfarelar um bom bocado de queijo feta por cima e experimentar esta mistura curiosa de ter um quadrado doce e extremamente aguado a envolver-se numa pasta cremosa e salgada. E fiquei surpreendida. De facto não achei que poderia ser tão bom.


A vida por Azeitão continua muito zen. Ontem dei por mim a passear pelas praias da Arrábida ao final do dia, já desertas mas lindas, como sempre. Hoje li um livro sobre feng shui, donde tirei a frase que leram acima e já desencantei mais uns quantos da biblioteca do meu avô, repleta de livros sobre Macau, jardinagem, viagens e culinária. Assim, durante a tarde vou inteirar-me da culinária de várias províncias francesas com a ajuda do livro “French Provincial Cooking” e vou “viajar” “Round the world in eighty dishes”!

Salada de melancia com feta

Melancia
Queijo Feta
Folhas de menta ou hortelã
Cebola roxa
Azeite

Corte a melancia aos cubos e a cebola às rodelas bem finas. Disponha numa travessa a melancia e esfarele o queijo feta por cima, seguido da cebola e das folhas de menta. Deite um fio de azeite por cima e sirva de imediato.

Nota: como na receita anterior, esta também não tem quantidades definidas, por isso faça ao seu gosto.
Pin It Now!